quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Poema Nzal




 

Deixe-mo-nos de permeios,
         estava louco por te ver,
     para te tocar nos seios,
                 e te deixar gemer...
                       
de anseios,


                  e de prazer.












terça-feira, 15 de novembro de 2016

Moribundo

acabou-se!
mata-me logo.


é preferível gastar assim a última bala.

não falhes, acerta-me fundo.

quero-me morto para ti e para toda a gente como tu.  



quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Toma verdades






Agora que te tenho a ti,

Tu que tens sido vida fora o meu desejo,

Não sei se te encontrei, se te perdi...

Agora, que te falo, que te vejo...



sexta-feira, 30 de setembro de 2016

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

O dia das contradições




Eu sou o futuro do incerto
O oposto do talvez
A contradição do contraditório
Sou o contrario do que dizem
E o oposto do que pensam
Sou o confuso do inconfundível
A certeza do impossível
Sou o louco da lucidez
A lucidez de um louco





Sou o eu de mim mesmo
O dono das minhas idéias
O contrário do que você pensa
E a certeza de quem sou eu
O equilíbrio do desequilibrado
A voz da minha mente
Sou o cara aí de cima
Sou eu mesmo a falar.

                      Vinicius.





segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Malhação

Não foi amor que nos deu,
                     nem  terá sido paixão.

             mas o que hoje ali bateu
                                   foi bom, foi malhação!